A importância da castração em gatos domésticos.

A importância da castração em gatos domésticos.

A proximidade de cães e gatos, na convivência com os seres humanos, é evidente. A proporção de caninos por pessoa, em algumas localidades no Brasil, chega a ser de 1:3, especialmente em domicílios onde residem crianças e/ou idosos. A prática da guarda responsável destes animais, por meio de adequada vacinação, vermifugação, alimentação, castração, higiene, segurança, conforto, entre outros cuidados, assegura não somente o bem-estar e a saúde destes, como também reduz os riscos à saúde pública. O objetivo do presente estudo foi avaliar o grau de conhecimento da população de Botucatu-SP sobre este tema. Para tanto, foram aplicados questionários em 99 domicílios sorteados, segundo planejamento amostral estatístico, em 55 bairros do município. Verificou-se que a população botucatuense reconhece a importância da criação adequada de cães e gatos, porém não pratica totalmente a guarda responsável, indicando que um intenso trabalho educacional deve ser desenvolvido na comunidade.

https://repositorio.unesp.br/handle/11449/94638

A intensa convivência entre o ser humano e os animais de estimação não tem sido acompanhada pela adoção de posturas de posse responsável. Dentre os animais de estimação, cães e gatos são geralmente os de eleição, estando presentes em grande contingente dos lares. Ações educativas que alertem e conscientizem sobre zoonoses e sobre a responsabilidade de possuir animais são fundamentais na mitigação dos problemas de saúde pública; porém, antes da realização de qualquer programa, é imprescindível o conhecimento da realidade local. O presente estudo foi idealizado com o propósito de avaliar a população de cães e gatos, e o nível de conhecimento e comportamento sobre a raiva e posse responsável de animais de estimação, em bairros de níveis socioeconômicos contrastantes da cidade de Jaboticabal, Estado de São Paulo. De setembro a novembro de 2007 foram entrevistados 185 moradores dos bairros Jardim Patriarca, Jardim Paulista e Jardim Santa Rosa, e 197 moradores do bairro Nova Jaboticabal, totalizando 382 entrevistas. Para análise dos dados foram empregados o teste Qui-quadrado e a Análise de Correspondência Múltipla. Apesar do contraste socioeconômico, o nível de conhecimento dos entrevistados sobre posse responsável e raiva animal foi semelhante em todos os bairros estudados; entretanto, o melhor poder aquisitivo favoreceu maiores gastos com serviços veterinários, como atendimento médico e vacinações, e maior número de animais por residência. As informações obtidas respaldam a necessidade de realizar trabalhos educativos constantes sobre posse responsável e prevenção de agravos em toda a cidade, além do estabelecimento de um canal de comunicação entre veterinários e o governo municipal.(…)

http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/106626

Anualmente, milhares de cães e gatos sem dono são sacrificados e milhares de outros vagam pelas ruas, multiplicando-se, disseminando doenças, causando e sofrendo acidentes, dentre outros problemas. Programas de controle incluem educação comunitária e esterilização, recolhimento ou abate dos animais. Buscando formas mais humanas de controlar a população de animais abandonados, a castração precoce de cãezinhos e gatinhos surge como alternativa eficiente e barata, disponibilizando para adoção filhotes que, mesmo se forem abandonados, não produzirão crias. EUA e Europa realizam o procedimento há duas décadas com sucesso; no Brasil, no entanto, o tema é tratado como novidade e os profissionais parecem intimidados com a técnica. O trabalho proposto busca revisar a fisiologia do filhote, as técnicas cirúrgica e anestésica necessárias e as vantagens e riscos que o procedimento oferece, a curto e longo prazo, visando esclarecer o meio acadêmico e profissional sobre o tema para que a técnica passe a ser realizada, ajudando assim no controle da população de animais abandonados. A castração precoce consiste na remoção cirúrgica das gônadas de cães e gatos com seis a 14 semanas de vida. Nessa idade, os sistemas fisiológicos ainda estão imaturos, exigindo cuidados especiais, principalmente na anestesia. A evolução das técnicas cirúrgica e anestésica atuais permite que animais desta idade sejam anestesiados e operados com extrema segurança. As características anatômicas de filhotes tão jovens tornam o procedimento cirúrgico nessa idade mais fácil que em adultos, pois há melhor visualização dos vasos sanguíneos e estruturas viscerais devido à menor quantidade de gordura abdominal e visceral. A recuperação pós-anestésica do filhote é mais rápida e há menor risco de complicações pós-cirúrgicas. Crenças e boatos sobre os efeitos de longo prazo nos animais têm intimidado os profissionais a realizar o procedimento. Estudos diversos, no entanto, têm desmentido tais ideias, não tendo sido observados riscos maiores para os animais castrados precocemente do que para os castrados em idade convencional. A castração precoce se firma, portanto, como opção segura e barata de esterilização, sendo especialmente vantajosa se empregada no controle da população de animais de rua.

a fim de viabilizar economicamente possíveis campanhas de castração em massa para
melhor qualidade de vida dos animais , diminuir a população de animais errantes e também
diminuir os riscos à saúde pública

O controle da população de cães urbanos por meio de castração é mundialmente reconhecido. As novas estratégias propostas envolvem esterilização cirúrgica devido ao excesso de cães de rua. Atualmente é considerado problema de saúde pública, devido aos sérios problemas de contaminação ambiental e comprometimento do bem-estar animal. A castração é uma alternativa eficaz no controle populacional de cães e de gatos, pois colabora com a redução da natalidade e garante o bem estar animal. Uma das formas mais eficazes de reduzir o abandono e garantir uma vida digna aos animais é conter o crescimento das populações por meio da castração sistemática. O objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento do proprietário sobre a castração do seu animal. A pesquisa seguiu um caráter qualitativo, com coleta de dados através de entrevista e observação, sendo os entrevistados proprietários que frequentam o Hospital Veterinário da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, Minas Gerais. Foram entrevistados 14 proprietários de cães e gatos, desses entrevistados foram divididos em categorias. A primeira categoria os proprietários não possuiam conhecimento sobre o assunto. Segunda categoria os proprietários eram contra a castração devido os riscos da cirurgia serem maior que os benefícios que a castração traz para o animal. Terceira categoria os proprietários eram a favor a castração apesar de terem conhecimento dos riscos da cirurgia, pois afirmaram mesmo asim que a castração traz benefícios para o animal. E a quarta categoria os proprietários eram a favor mais não possuiam uma justificativa. Conclui-se que as opiniões sobre a castração de pequenos animais é divergente. Foram observados que os proprietários não possuiam informações suficientes sobre o tema castração em pequenos animais.

Castração de gatos em todos os detalhes

Saiba como funciona a castração de gatos e entenda por que esse procedimento pode ser de grande ajuda na vida de quem tem felinos em

A castração de gatos é um tema amplamente abordado pelos que tem ou desejam ter um felino como parte da família, e pode trazer uma série de vantagens para os bichanos que vivem em espaços restritos; assim como para seus proprietários. Evitando crias indesejadas e a superpopulação de gatos – que contribui para o abandono de pets e a propagação de doenças comuns aos felinos – a realização de tal operação nestes animais ainda causa polêmica em função de mitos espalhados no mundo animal.

Evitada por muitos proprietários que acreditam que o procedimento possa machucar seus pets, a castração de gatos (também conhecida como esterilização) consiste em um processo simples e prático que, quando realizado por um profissional competente, raramente traz qualquer tipo de consequência negativa

Fonte: CachorroGato @ http://www.cachorrogato.com.br/gato/castracao-gatos/

Castrar ou não castrar um gato de casa? Este é o dilema que muitos donos enfrentam. É uma decisão que deve ser tomada com o veterinário e que tem o poder de modificar alguns comportamentos do animal.

A castração consiste na remoção dos testículos, órgão que produz a maior parte da testosterona presente no corpo. Esta hormona controla o comportamento sexual e alguns comportamentos relacionados, como a marcação com urina, a agressividade face a outros machos e as fugas em busca de fêmeas no cio.

Por norma, o comportamento sexual desaparece com a castração. No entanto, há gatos nos quais podem persistir comportamentos como a cobrição ou o interesse por fêmeas durante vários meses ou, até mesmo, durante toda a vida do animal.

Em 80 a 90% dos casos, a castração também elimina ou reduz a frequência dos comportamentos relacionados com a reprodução. A redução destes comportamentos tem muitas consequências positivas tanto para o gato como para o dono. Para os gatos com acesso ao exterior, quanto menos fugirem menor risco têm de ser vítimas de atropelamento. A menor tendência para lutar com outros machos reduz o risco de ser mordido ou arranhado, evitando a transmissão de algumas doenças muito graves, como a imunodeficiência e a leucemia felina. A redução da marcação com urina traz vantagens principalmente para os donos de gatos que não têm acesso ao exterior. No entanto, a castração não elimina por completo a marcação, pois este comportamento, para além das hormonas sexuais, é controlado pelo nível de stress do animal. A maior diferença entre a marcação feita por um gato não castrado e por um gato castrado é o odor da urina, que é muito menos intenso no gato castrado devido à baixa concentração de felinina, uma substância que dá à urina o típico odor forte e que é muito abundante na urina dos gatos não castrados.

Todas estas alterações comportamentais dos gatos acontecem logo após a castração ou, em alguns, é necessário esperar várias semanas. Nem o ambiente nem experiências anteriores parecem ter um impacto nestas alterações e a idade com que se realiza a intervenção também não tem qualquer influência: castrar antes da puberdade (que os gatos machos atingem por volta dos 6 a 7 meses) ou depois tem a mesma eficácia.

No entanto, não pode esperar que a castração resolva todos os problemas de comportamento do seu gato. Porque, embora a castração provoque alterações nalguns aspetos do comportamento do gato, não modifica a sua personalidade. Se quer optar pela castração para resolver ou evitar problemas de comportamento, é importante que conheça os efeitos da castração e que tenha expectativas realistas acerca das melhorias que esta intervenção pode trazer.

A grande importância da castração de gatos

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-10-07/castracao-de-gatos.html

O preconceito que ainda existe em relação a castração por parte dos donos precisa ser modificado para ajudar na resolução de alguns problemas

Os gatos são animais que quando estão no cio possuem um instinto muito forte. A mudança de comportamento, principalmente da fêmea , nesse período pode trazer grandes transtornos para dentro de casa. Ela não irá sossegar até conseguir fugir e encontrar um macho, tarefa que não será muito difícil já que ele estará rondando o local atraído pelo cheiro. A cada gestação, podem nascer de 2 a 12 gatinhos e o ciclo da fêmea dura apenas dois meses. Por isso a grande importância da castração de gatos, que evita a grande proliferação desses animais e, consequentemente, do abandono.

A castração de gatos é importante para diminuir o índice de abandono e garantir a saúde do animal

Ainda vítima de muito preconceito  de alguns donos por ser caro ou doloroso para o animal, o procedimento sofreu algumas alterações com o passar do tempo. Hoje em dia a castração de gatos pode ser feita de maneira gratuita pelos centros de zoonoses e, se o profissional for qualificado, a chance de prejudicar o gatinho de alguma forma é quase zero.

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-10-07/castracao-de-gatos.html

Como funciona a castração em gatos

Geralmente o procedimento é realizado após os seis meses de vida do gatinho, mas pode ser feito após o terceiro. É uma operação de retirada dos órgãos reprodutivos, por isso o animal recebe anestesia geral e fica conectado a aparelhos responsáveis pelo monitoramento dos sinais vitais e pela prevenção de complicações.

O corte feito na barriga dos gatos é bem pequeno e a operação dura cerca de 10 minutos. Se tudo correr bem, o animal é liberado para voltar para casa no mesmo dia. Uma garantia para que isso aconteça depende da escolha de um veterinário de confiança, acostumado a realizar o procedimento.

Vantagens da castração

Além do controle populacional, a castração tem outras importâncias. A operação melhora a qualidade e a expectativa de vida dos animais que vivem dentro ou fara de casa.  Nas fêmeas o grande stress causado pelo cio e a grande possibilidade de doenças no sistema reprodutor são eliminados. Nos machos o índice de agressividade diminui, assim como a necessidade de demarcação de espaço, móveis e poltronas ficam protegidos.

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-10-07/castracao-de-gatos.html

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-10-07/castracao-de-gatos.html

Como funciona a castração em gatos

Geralmente o procedimento é realizado após os seis meses de vida do gatinho, mas pode ser feito após o terceiro. É uma operação de retirada dos órgãos reprodutivos, por isso o animal recebe anestesia geral e fica conectado a aparelhos responsáveis pelo monitoramento dos sinais vitais e pela prevenção de complicações.

O corte feito na barriga dos gatos é bem pequeno e a operação dura cerca de 10 minutos. Se tudo correr bem, o animal é liberado para voltar para casa no mesmo dia. Uma garantia para que isso aconteça depende da escolha de um veterinário de confiança, acostumado a realizar o procedimento.

Vantagens da castração

Além do A castração traz benefícios para o dia do gato., a castração tem outras importâncias. A operação melhora a qualidade e a expectativa de vida dos animais que vivem dentro ou fora de casa.  Nas fêmeas o grande stress causado pelo cio e a grande possibilidade de doenças no sistema reprodutor são eliminados. Nos machos o índice de agressividade diminui, assim como a necessidade de demarcação de espaço, móveis e poltronas ficam protegidos.

Fonte: Canal do Pet – iG @ http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-10-07/castracao-de-gatos.html

Brasil tem a segunda maior população de pets do mundo. Em números, os gatos já são mais populares que os caes: são 204 milhões de bichanos no planeta contra 173 milhões de seu lendário arquirrival.

Estima-se que existam 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos vivendo em lares brasileiros.
O que inclusive nos leva à curiosa estatística de que existem mais cães em lares do que crianças, já que em 2013, o IBGE contou 44,9 milhões de crianças no Brasil.
44,3% destes lares tem pelo menos 1 cão, e 17,7% tem pelo menos 1 gato.
O Estado que mais tem gatos no Brasil? O Piauí, com pelo menos 1 gato em 34,2% dos lares.
O que menos tem? Brasília, com só 6,9% de lares com gatos

Se no Brasil a concorrência entre cães e gatos ainda é desleal, em muitos outros países os gatos estão em plena vantagem, ou ainda em equilíbrio, lado a lado com os companheiros cães.
O Jornal Estadunidense Washington Post encomendou uma pesquisa, que leva em consideração a população de gatos e cachorros em 54 países.
O resultado é bem equilibrado, e dá pra perceber que o mundo anda bastante dividido.

 

A importância da castração em gatos domésticos.

 

O Brasil já possui uma colocação significativa no tema animais! É a segunda maior população de animais domésticos no mundo; sendo os bichanos já chamados de mais populares que os cães. Acredite!

São 204 milhões de felinos domésticos no planeta contra 173 milhões de cães.

A estimativa é de 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos nos lares brasileiros.

Gatos tomaram as residências devido a sua capacidade de maior independência, dormem em média de dezesseis a dezoito horas por dia, são extremamente limpos e ocupam menos espaços.

Companheiro ideal para quem tem uma vida mais agitada em tempos modernos, ou seja, sente menos a falta dos donos em suas ausências. Porém não se engane porque ao contrário do que se imagina, são muito apegados aos seus tutores quando juntos.

Essa relação cresceu nos últimos quinze anos e aquilo que era posse virou guarda responsável.

A guarda responsável se tornou mais e mais ativa e próxima para uma boa relação de bem estar entre o “homem&animal”..

Independente de ser de raça ou não, a relação de amor é a mesma.

Existem algumas polêmicas com um tema que é a castração.

A castração, também chamada de esterilização traz benefícios, tais como:

* controle populacional;

* diminui o índice de abandono;

* melhoria na qualidade e a expectativa de vida para os que vivem dentro ou fora de casa;

* pode somar muito até no comportamento de alguns gatos.

Essa decisão deve ser tomada com o profissional médico veterinário!

Parecem poucas às citações, no entanto nas fêmeas o estresse é grande causado pelo cio quando não castradas. Além da grande possibilidade de doenças no sistema reprodutor serem eliminadas.

Nos machos a necessidade de demarcação de espaço pode ser eliminada e principalmente na questão de ficarem mais calmos. Existem fêmeas que demarcam também, pois gatos são territoriais.

Lembrando que na questão de comportamento cada caso é um caso.

Quanto em que idade castrar?

É preciso lembrar que em São Paulo existe uma lei municipal (Lei Municipal nº 13.131/2001), e prevê o controle de natalidade desse grupo de animais por meio da realização de esterilização cirúrgica).

Veja mais pelo link http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/index.php?p=210543 “.

A castração pode ser realizada a partir dos dois meses de idade de vida.

Quando existir dúvidas consulte o médico veterinário e caso seja necessário uma, duas ou mais opiniões de profissionais diferentes.

Tenho uma gata de dezessete anos que é a Cat Model Nikole que é castrada; foi à melhor decisão que tomei na minha e na vida dela.

 

 

Cecy Passos

mãe manager” da Cat model @gatanikoleoficial

www.nikole.com.br  e  www.youtube.com/gatanikole/videos

 

Apresentadora do Programa Pet Lover @programapetlover

Consultora e Gestora de Produtos Específicos para Gatos

Professora de Estética Felina

Palestrante

@cecypassosoficial

 www.cecypassos.com.br